Banner-Site-fw-fw

Especial de Halloween: Lugares Mal Assombrados no Brasil - Parte 4





Olá Startes! Tudo certo? Como estão dormindo nessas noites? Espero que de luz acesa; Eu sei, eu sei, quem estava fazendo os especiais de lugares mal assombrados era o Gabriel, mas durante as nossas pesquisas eu achei um lugar BIZARRO que me deixou com frio na espinha, e eu queria MUITO trazer para meus pimpolhos. E lembrando! Se você não perdeu ou não viu você pode encontrar todas elas aqui: Parte 1 / Parte 2 / Parte 3

É isso pessoal, para finalizar nosso especial eu escolhi falar sobre o Casarão mal assombrado de Araraquara, São Paulo.



O imóvel, construído em 1884, já foi palco de muita tortura na época dos escravos. O casarão agora atrai pesquisadores e curiosos com as histórias de aterrorizantes que assombram o local.

O casarão está localizado no Assentamento Bela Vista, zona rural de Araraquara-SP. Construído em 1884, ele era a sede da fazenda, uma grande produtora de café com uso abundante de escravos e mesmo após, de acabada a escravidão no Brasil, ainda existiam escravos na fazenda. Quando iam fiscalizá-la, eles eram escondidos em túneis secretos. O dono do casarão era o Coronel Antônio Joaquim de Carvalho, o barão do café da região.





O casarão é GIGANTE, tendo mais de 50 cômodos. Possui portas com 3 metros de altura e janelas gigantes, para ostentar a riqueza do barão. Já na senzala, era totalmente o oposto, porta pequena que obrigava os escravos a se abaixarem para entrar, num gesto de submissão. Obviamente havia um local de castigo. Um muro, logo na entrada da senzala que ainda tem as correntes presas na parede.

Atualmente o casarão está bem diferente de sua época áurea. Ele serve de lar para centenas de morcegos e está todo velho, sendo deteriorado pela ação do tempo. No pavimento onde vivia o coronel, já não é possível andar mais por risco de desabamento.

Hoje o casarão se tornou um ponto turístico, muitas pessoas vão até lá por pura curiosidade, na tentativa de presenciar algo sobrenatural.

Agora que passamos um pouco sobre a história do casarão, vamos para a parte que importa?

Procurando na internet, encontrei alguns relatos, e abaixo vocês podem lê-los na íntegra:

“As últimas famílias que moraram aqui, e isso faz uns 20 anos, diziam ouvir pessoas chorando e pedindo água. As vozes, segundo elas, vinham de uma espécie de porão que ficava embaixo da senzala, utilizado para acorrentar os escravos. Na tentativa de resolver o problema, eles tamparam a entrada desse espaço. Pelo que eu me lembro, isso resolveu”. Diz Jailson Aparecido Nobre, de 26 anos.

Jailson explica que, quando criança, brincava no espaço agora inacessível. “Ainda existe, está aqui debaixo. As paredes têm correntes e inscrições em números romanos. Fora isso, tem um túnel de aproximadamente 300 metros usado para ligar essa senzala a outra área da fazenda”, revela.



Outra testemunha, João Francisco da Silva, 69, conta que uma senhora conhecida como “Maria do seu Vidal”, afirmou, por diversas vezes, ter avistado algo estranho na enigmática casa colonial: “Ela foi uma das últimas moradoras do casarão. Por diversas vezes, nos disse que uma mulher muito bela e bem vestida aparecia para ela segurando uma bandeja cheia de joias, dizendo que havia um tesouro embaixo do casarão, e que a dona Maria deveria cavar para encontrá-lo”, conta Silva, que completa. “Ela não teria motivos para inventar essa história. Era uma pessoa séria e correta.”

Abaixo você pode ver 2 imagens que circulam a internet que são... Estranhas...




E para completar, meus queridos Starters o pessoal do Visão Paranormal, foi até o local investigar!

Você pode estar vendo o episodio na íntegra aqui

Pessoal, fica por aqui nosso Especial de Halloween e espero de TODO o coração, que vocês tenham gostado muito do que fizemos e vamos continuar fazendo aqui no site. Deu um trabalhão pesquisar e comentar sobre todas esses lugares, então espero poder contar com vocês para divulgar e compartilhar com todos.

Um abraço! E pela última vez até o próximo Especial de Halloween: Durmam de luzes acesas!




Postar um comentário

0 Comentários