Banner-Site-fw-fw

Bloodstained: Ritual of the Night | Crítica


Arise myself and my shadows!


Olá Starters!

VOLTAMOS A PROGRAMAÇÃO NORMAL!! Ahh como eu estava com saudades de escrever sobre outras coisas que não fossem de terror. Sério eu tenho MUITO medo de tudo, então sair do mês de Outubro pra mim foi uma maravilha. Hoje gostaria de trazer para vocês um jogo que me cativou bastante por 2 motivos, ganhei de presente de um amigo muito especial e é BASICAMENTE um remake de Castlevania Symphony of the Night e eu sou simplesmente apaixonado por esse jogo. bora falar um pouco sobre?

DADOS TÉCNICOS
Título Original: Bloodstained: Ritual of the Night
Data de Lançamento: 18 de junho de 2019
Gênero: Metroidvania
Desenvolvedora: ArtPlay
Plataformas: PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One, Microsoft Windows

Sim, novamente estou falando de um metroidvania. Me desculpe eu sou obcecado, então já sabem, querem ver algum Metroidvania aqui no site? Deixa ai nos comentários que pode ter CERTEZA que eu vou jogar.

História


OLHA ESSE MAPA IGUALZINHO DO Symphony of the Night
O jogo se passa na Inglaterra do século XVIII durante a Revolução Industrial. Temendo a perda de sua influência sobre seus ricos patrões, a Guild de Alquimia pesquisou métodos para convocar demônios e criou os chamados "Shardbinders", humanos que foram criados para se fundirem forçadamente com cristais criados a base de demônios. Esses Shardbinders foram sacrificados pela guilda para invocar mais demônios em uma tentativa de assustar, entretanto, eles não conseguiram controlar as invocações e a guilda e grande parte da Inglaterra foi massacrada até que a igreja consegue banir-los de volta. Dos Shardbinders sacrificados sobraram somente Gebel sobreviveu, a protagonista desse jogo, foi "poupada" por te entrado em um estado vegetativo antes de começarem os sacrificios.

Após 10 anos, Miriam acorda de seu estado e descobre que Gebel começou a invocar demônios para se vingar de toda a Inglaterra. E é aqui que nosso jogo começa.

Aspectos Técnicos

Vamos entrar um pouco nos aspectos técnicos agora, Você já jogou Castlevania Symphony of the Night? Se já, esse jogo vai ser basicamente a MESMA experiência (até porquê o jogo foi feito pela mesma pessoa Koji Igarashi), a trilha sonora é de alguns lugares parece até ter sido retirada, repaginada e remasterizada para ser inserida no Bloodstained e vocês vão ler isso em todos os aspectos do jogo, quando ele foi lançando, quem tava streamando o jogo até colocava nos tópicos como Remake de Castlevania de TÃO parecidos que os jogos são.

Se você jogar Castlevania Symphony of the Night, essa imagem aparece. Coincidencia?

Mas Roberto, isso significa que o jogo é ruim nos aspectos técnicos?

 Não! Isso não significa nada! Para quem jogou Castlevania, vocês irão adorar Bloodstained e sentir até um pouco de nostalgia quanto à alguns cenários/chefes que se parecem muito. E para quem não jogou Castlevania, desde que você goste de gêneros metroidvania você vai ter um prato cheio com Bloodstained.

Entretanto, nem tudo são flores no mundo de Bloodstained, os gráficos do jogo são... estranhos. Eu sou muito fã de animes, mas o gráfico não parece certo para os personagens dentro do jogo, dá uma sensação de jogo amador, porém, para os monstros o gráfico combinou muito bem.



Outro aspecto negativo para mim: Bloodstained é muito travado em alguns momentos tendo alguns bugs conhecidos que a comunidade está em cima reclamando. Para consoles a situação parece piorar um pouco, os tempos de carregamento são grandes, o cenário trava em algumas situações tendo que esperar até 10s para destravar e também conta com os bugs relatados pela comunidade.

Jogabilidade

A jogabilidade de Bloodstained parece que foi a parte mais trabalhada do jogo, Miriam tem diferentes tipos de armas para utilizar, diferentes builds de fragmentos para fazer e muitos outras coisas que mudam complemente sua jogabilidade, o que é MUITO bom, porque deixa o jogo dinâmico, divertido e quase nunca monótono, tendo até modo para editar a Miriam!



Meu único problema com a jogabilidade, é que em alguns momentos da história, você precisa de alguns tipos de fragmentos diferentes para continuar, e isso não teria problema algum! Entretanto, esses fragmentos são conseguidos de monstros comuns e que não possuem nenhum destaque. Isso deixa o jogador um pouco frustrado pois, normalmente os "poderes" de um jogo Metroidvania são encontrados em lugares específicos para destacar o modo como prosseguir.


Conclusão


Bloodstained é diversão, é nostalgia e é novidade, mas o que ele não é, é ser um jogo bem feito.  mesmo tendo conseguido na campanha de KickStarter $5.5 Milhões de Dólares em 2015 quando o projeto começou, Koji Igarashi parece não ter tido muito tempo para lapidar o jogo, trazendo todas as situações que nós comentamos aqui. Para quem tem Xbox Game Pass, o jogo entrou lá no mês de outubro, uma ótima oportunidade para testar você mesmo. Para quem não terá que comprar, recomendo esperar uma promoção!

Pessoal! Espero que tenham gostado, lembrem-se de deixar um comentário expondo sua opinião e me recomendando mais Metroidvanias!


NOTA: 3.5/5.0


Postar um comentário

0 Comentários