Banner-Site-fw-fw

O Sorriso da Hiena | Resenha


Basta a vida tocar no lugar certo para despertar o pior em qualquer pessoa.

Olá.

Tudo bem?

Estamos contando os dias para o final do ano e é inacreditável como esse ano passou rápido, não é? Bem papo de velho mesmo!

O livro de hoje eu já havia ouvido falar faz tempo e o autor é uma das maiores referências ao se tratar de suspenses nacionais. Esses dias enquanto estava garimpando a biblioteca do Kindle Unlimited encontrei O Sorriso da Hiena de Gustavo Ávilla que automaticamente reacendeu a minha vontade de lê-lo. Hoje vim contar pra vocês um pouquinho sobre essa obra repleta de surpresas, reviravoltas e emoções.


Autor: Gustavo Ávila
Editora: Verus
Data de Publicação: 12 de maio de 2017
Gênero: Suspense
Número de Páginas: 266 páginas
Sinopse: É possível justificar o mal quando há a intenção de fazer o bem? Uma trama complexa de suspense e jogos psicológicos. Atormentado por achar que não faz o suficiente para tornar o mundo um lugar melhor, William, um respeitado psicólogo infantil, tem a chance de realizar um estudo que pode ajudar a entender o desenvolvimento da maldade humana. Porém a proposta, feita pelo misterioso David, coloca o psicólogo diante de um complexo dilema moral. Para saber se é um homem cruel por ter testemunhado o brutal assassinato de seus pais quando tinha apenas oito anos, David planeja repetir com outras famílias o mesmo que aconteceu com a sua, dando a William a chance de acompanhar o crescimento das crianças órfãs e descobrir a influência desse trauma no desenvolvimento delas. Mas até onde William será capaz de ir para atingir seus objetivos? Em O sorriso da hiena, o leitor ficará fisgado até a última página enquanto acompanha o detetive Artur Veiga nas investigações para desvendar essa série de crimes que está aterrorizando a cidade.

E quem disse que autor nacional não sabe escrever um bom suspense? Trazendo todos os elementos de um thriller internacional, Gustavo nos leva em meio a um livro repleto de camadas em que se discute, particularmente, a essência do mal. Uma pessoa "boa" que sofre um evento traumático em sua infância, é possível em que ela se transforme em uma pessoa má? E se sim, então todo ser humano, é intrinsecamente mau, restando apenas uma experiência traumática para desencadear esse surto? É com esse macabro experimento que conhecemos David, um homem que na infância testemunhou a desfiguração e morte violenta de seus pais. Agora, adulto, repete o mesmo tipo de assassinato com famílias diferentes para que possa provar a tese de um psicólogo chamado William, que estuda a maldade e seus efeitos práticos nas pessoas. Do lado da lei, Arthur, um detetive super inteligente que sofre da Síndrome de Asperger corre contra o tempo para juntar as peças desse quebra cabeça insano em busca da identidade do assassino antes que mais crianças entrem para suas estatísticas. 

Por que eu me sentia daquele jeito? Por quê? Será que o meu trauma de infância foi capaz de me transformar nisso que eu sou hoje, ou eu nasci pra ser assim? Será que eu nasci um monstro? Uma pessoa seca, que não conseguiu nem chorar a perda de outra pessoa que cuidou de mim? Eu não sei dizer, sr. William.

Como vocês podem ver acima, o livro é eletrizante e é exatamente isso que acontece: Já nas primeiras páginas, o autor nos apresenta os personagens e não perde tempo em firulas. É uma leitura extremamente rápida e instigante em que os elementos vão se juntando e formando uma narrativa com muitas camadas e jogos mentais que confudem os leitores em que nada que parece, de fato é. O livro possui uma pinta de romance internacional e realmente não fica devendo em nada. A escrita de Gustavo é muito imersiva e mesmo nos momentos de tensão baixa, você se mantém atento pois há a sensação de que algo pode dar errado. Arthur, como mencionei, é um detetive muito sagaz e inteligente, porém, possui sérios problemas comportamentais, já que possui a Síndrome de Asperger que limita o seu nível de interação social. Devido a sua condição, o detetive é literal e direto ao ponto, sendo o único qualificado para a resolução do caso. O personagem é muito carismático (eu sei, é irônico) e muito cativante, eu rapidamente me apeguei a ele e finalizei a leitura com ele sendo a minha parte favorita de todo o livro. Recentemente, fiquei sabendo que Arthur está de volta no mais novo livro do autor e isso me deixou muito animado! Mal posso esperar para revê-lo.



O psicólogo William que se envolve e se torna uma das peças do doentio jogo de David também foi muito bem construído e de sua parte é que vem os questionamentos mais interessantes presentes em O Sorriso da Hiena. William se torna o encarregado por realizar o acompanhamento psicológico das crianças que sofreram desse terrível trauma, enquanto vai utilizando seus relatos para colocar a prova tudo que havia escrito em sua tese de doutorado. Através de diários do personagem, vamos vendo de maneira muito interessante os questionamentos acerca da maldade e como essas experiências modificam e transformam o ser humano. O livro traz também outros questionamentos como ética, política e a maneira com que nosso sistema jurídico e penitenciário é deficiente em diversos aspectos. Todos os pontos são muito bem inseridos na história e é perceptível o profissionalismo do autor. O livro consegue ser tão bem amarrado que é quase impossível desgrudar de suas páginas, pois o sentimento é que queria ler cada vez mais e mais. Ainda sim, senti que o livro foi muito "morno" com questão ao seu desenvolvimento. Apesar de muito bem escrito e envolvente, a obra não traz nada de muito novo com o que estamos acostumados em obras do gênero. O resultado é que a leitura se desenvolve sem muitas surpresas e, para os leitores mais calejados em obras de suspense, é fácil matar algumas questões antes mesmo do momento de sua resolução. A temática do livro é muito interessante e eu realmente me senti com uma "cebola" nas mãos, em que cada página representava uma camada que ia sendo exposta e revelando diversas outras, mas a história dava abertura para Gustavo ousar mais. 

Você acha o quê, David? Você acha que é especial, hein? Que a vida só escolheu você como saco de pancada? Toda hora alguém está levando um coice do mundo. Mas é justamente isso que faz cada momento de alegria tão precioso. É a fome que faz um prato de arroz e feijão ser a coisa mais gostosa do mundo.

O Sorriso da Hiena é um livro que certamente me conquistou e cativou. Foi o meu primeiro contato com o autor, mas eu simplesmente amei sua maneira de escrita e a forma com que ele encadeia a sua narrativa, sempre de maneira envolvente e coesa. A construção dos personagens é outro ponto forte para a trama, principalmente destacando Arthur que através do desenrolar das investigações, vai crescendo e ganhando ainda mais brilho. Ainda que o autor não tenha se ousado em trazer soluções menos exploradas, eu me senti muito satisfeito com a leitura que, como disse mais acima, deixa muito suspense internacional no chinelo. O outro livro do autor Quando A Luz Apaga já se encontra em minha estante e irei lê-lo assim que possível. 

Deem uma chance para O Sorriso da Hiena, garanto que irão gostar e se surpreender, principalmente se você curte discussões filosóficas. Esse é o tipo de livro que vai te deixar refletindo por horas e horas.

Nota:  4,0 / 5,0 

Nos vemos na próxima quarta.

Até lá!



Postar um comentário

0 Comentários