Banner-Site-fw-fw

The Witcher | Crítica



Toss a Coin to your Witcher



Olá Startes!

Sim, a crítica de The Witcher tá saindo um pouco mais tarde do que eu gostaria, MAS ANTES TARDE DO QUE NUNCA. E olha, fui pego totalmente desprevinido com a grandiosidade da série, cenas fortes emocionais e cenas pesadas fazendo parecer até um filme 18+ e tudo isso é maravilhoso, Vamos falar um pouco mais a fundo?


Título Original: The Witcher
Data de exibição: 20 de dezembro de 2019
Gênero: Fantasia, Drama, Ação
Distribuidora: Netflix
Criadora: Lauren Schmidt Hissrich
Adaptação de: Wiedzmin
Número de episódios: 8 Episódios
Sinopse: Baseado na série de livros Wiedzmin, do escritor polonês Andrzej Sapkowski, The Witcher se passa em um mundo de fantasia medieval e segue a história de Geralt de Rívia, um dos últimos bruxos restantes na Terra. Ele é um destemido andarilho e caçador de monstros, dotado de capacidades físicas sobrenaturais.




Teremos alguns mini spoilers das séries, então estejam preparados!


Antes de começar, gostaria de destacar que essa crítica, NÃO vai ser uma comparação com os livros, estarei julgando a série somente pelo que ela entrega.

Atuações:


Geralt de Rivia (Henry Cavil), Yennefer de Vengerberg (Anya Chalotra) e Cirilla de Cintra(Freya Allan) são os destaques da série, Henry com sua experiencia eleva muito o nível de atuação da série, entretanto Anya não fica para trás, trazendo cenas emocionantes principalmente a fatídica transformação dela, que faz a gente sentir a mesma dor que ela.

Já Freya deixa um pouco a desejar, com atuações medianas e sem destaque. Esperamos que ela tenha mais destaque na segunda temporada então sua atuação terá que ser trabalhada.

Três gratas surpresas foram: Jaskier foi nosso amigo Bardo(Joey Batey) que roubou a cena em diversos momentos com sua ótima atuação, carisma e chatice nos deixando completamente viciados na incrível música - Toss a Coin to your Witcher -

Calanthe de Cintra (Jodhi May) A Rainha Leoa de Cintra que nos faz ama-la e odia-la a cada momento e seu Marido Eist Tuirseach (Björn Hlynur Haraldsson) que era um alivio cômico nos momentos de tensão da Rainha Calanthe.

Pontos Positivos e Negativos:


Acho que para mim o maior ponto positivo da série, foi a linha do tempo, que não te dava nenhuma nuance visual de suas mudanças. Todos as "dicas" que eles dão são baseadas em roteiro e pequenas falas/personagens aparecendo aqui e ali. Eu me senti procurando por easter-eggs tentando encaixar cada momento em seu devido lugar.

Mas para você que se perdeu e não sacou como ficou a linha do tempo, nós aqui do Startes separamos pra você:


  1. Geralt é abandonado pela mãe
  2. Yennefer em Aretuza
  3. Conflito entre Stregobor e Renfri
  4. O encontro de Geralt e Triss Merigold
  5. A criança surpresa do bruxo
  6. A primeira interação entre Geralt e Yennefer
  7. O dragão dourado
  8. Nilfgaard toma Cintra
  9. A sobrevivência de Ciri
  10. A batalha de Sodden

Mas, sejamos honestos, por mais que a linha do tempo tenha sido extremamente bem trabalhada a quantidade de informação despejada nos três primeiros episódios causa uma certa estranheza e confusão, principalmente, para quem não está acostumado com o mundo de 'Bruxeiro'. São muitos nomes, cidades e conflitos para se entender, na minha humilde opinião eles podiam ter trabalhado para fazer a gente entender um pouco mais do universo, com uma pequena introdução dos reinos ou algo do tipo.

Outro ótimo ponto positivo para série são as coreografias de lutas, Geralt, Yennefer roubam as cenas a cada cena de luta em que aparecem e isso me deixa extremamente feliz, pois era algo que eu estava bem preocupado, séries fantasiosas as vezes tendem a pecar nessa parte.



Já falando sobre Geralt e Yennefer, pra mim o romance deles foi um ponto negativo, sim, todos entedemos que anos passaram de um momento para outro e eles se encontraram outras vezes. Entretanto, achei que eles podiam ter trabalhado mais, fazer a gente se importar com a relação deles, na série sentimos que o nosso Bruxo ama mais a Renfri do que a Yennefer.


E um último ponto negativo: Geralt poderia ter usado mais seus Sinais de Bruxo, não vimos ele abusar muito disso a maioria das vezes que ele usa algo é o "Aard" que é o de empurrar as pessoas. Temos uma tentantiva de "Axii" no primeiro episódio (tentando fazer a Renfri sair de Blaviken) e o uso de "Quen" para prender a estrige e não deixar ela fugir, eu queria ver o Geralt utilizar muito mais desses sinais.



E um último ponto positivo: A Irmandade dos Magos, eles acertaram demais com as escolhas de personagens e nos apresentando mais da Irmandade, espero que seja ainda mais trabalhado na segunda temporada.

Em conclusão, a série peca em alguns detalhes mas acerta MUITO bem em quase todos os outros. A história, depois que você se acostuma com os nomes e lugares, é bem fluída e muito bem trabalhada dando a impressão até que quem escreveu o roteiro estava pintando uma obra de arte. Estou extremamente ansioso para a segunda temporada e espero que mantenha o nível de excelência dessa primeira.

Nota: 4,2/5,0


Acha que faltou algo? deixa ai nos comentários!

Postar um comentário

0 Comentários