Banner-Site-fw-fw

Lista: Minhas melhores leituras de 2019


Uma listinha pra começar bem o ano.

Olha quem está de voltaaaaaaa!


Olá, queridos! Tudo bem com vocês? Como foram as festas de final de ano? Aproveitaram e curtiram muito? 


Sei que vocês estavam cientes que faríamos uma pequena pausa durante esse período conturbado em que precisamos nos dividir em mil pessoas para dar conta de todos os amigo ocultos, confraternizações e afins, mas aproveitamos esse tempo também para planejar e colocar em prática alguns dos nossos projetos para o site em 2020. Estamos muito animados e podem esperar muitas novidades muito em breve, porém, como sabemos que janeiro é o mês oficial das férias, viagens e preguiça, resolvemos aproveitar essas semanas para fazermos algumas retrospectivas e revisitar alguns conteúdos que fizeram muito sucesso aqui no site em 2019, por isso, resolvi trazer para a primeira postagem do ano uma lista com as minhas dez melhores leituras do ano passado. 

Já aviso que não bati a minha meta literária (não cheguei nem perto, na verdade), mas fiz leituras incríveis e que merecem ser compartilhadas aqui com vocês. A maioria delas já possuem resenhas aqui no site e podem ficar tranquilos, irei deixar todos os links bem certinhos aqui pra vocês caso se interessem e queiram ler com um pouco mais de detalhes.

Vamos começar?

10º Lugar: Confissões 


Foto: Fundo Falso


Autor(a): Kanae Minato
Editora: Vestígio
Gênero: Thriller, suspense
Número de Páginas: 176
Sinopse: O mundo da professora Yuko Moriguchi girava em torno da pequena Manami, uma garotinha de 4 anos apaixonada por coelhinhos. Agora, após um terrível acontecimento que tirou a vida de sua filha, Moriguchi decide pedir demissão. Antes, porém, ela tem uma última lição para seus pupilos. A professora revela que sua filha não foi vítima de um acidente, como se pensava: dois alunos são os culpados. Sua aula derradeira irá desencadear uma trama diabólica de vingança. Narrado em vozes alternadas e com reviravoltas inesperadas, Confissões explora os limites da punição, misturando suspense, drama, desespero e violência de forma honesta e brutal, culminando num confronto angustiante entre professora e aluno que irá colocar os ocupantes de uma escola inteira em perigo.

Abrimos nossa lista com um suspense de tirar o fôlego e que me pegou totalmente de surpresa. A autora japonesa Kanae Minato criou uma história doentia sobre vingança e luto, no entanto, é tudo tão instigante que você não consegue simplesmente largar. A autora traz muitas reviravoltas e encerra o livro com um final de cair o queixo. Eu me lembro de reler as páginas algumas vezes porque eu simplesmente não conseguia acreditar no que estava lendo. A resenha completa do livro você pode conferir clicando aqui

Acho que as pessoas em geral se esqueceram de uma verdade fundamental: Não temos o direito de julgar ninguém. 


9º Lugar: Menino de Ouro 

Foto: Leitoras Inquietas

Autor(a): Abigail Thomas
Editora: Globo Alt
Gênero: Ficção, YA, Drama
Número de Páginas: 384
Sinopse: A família de Max não permitiria nenhum desvio na imagem perfeita que havia construído. Karen, a mãe, é uma advogada renomada, determinada a manter a fachada de boa mãe, esposa e profissional. Steve, o pai, é o exemplo do chefe de família presente em sua comunidade, favorito a um importante cargo público. O ponto fora da curva é Daniel, o caçula, que, para os padrões da família Walker, é “estranho”: não é carinhoso, inteligente ou perfeito como Max. Melhor aluno da escola, capitão do time de futebol, atlético, simpático, sucesso entre as garotas: Max, o primogênito, é o menino de ouro. Ninguém poderia dizer que sua vida não é perfeitamente normal. Ninguém poderia dizer que Max esconde um segredo. Ele é diferente, especial. Max é intersexual: nasceu com os dois conjuntos de cromossomos, XX e XY e, portanto, é menino e menina. Ou nenhum dos dois. É a partir do olhar de cada pessoa que orbita a vida de Max que a autora Abigail Tarttelin compõe a sua narrativa em Menino de Ouro. Cada uma das personagens esboça seu dia a dia, suas inseguranças e conquistas, e, principalmente, seu relacionamento com Max. Apesar da dimensão de seu segredo, Max parece à vontade com sua vida. Seus questionamentos sobre sexo, relacionamentos e até sobre rejeição são tantos quanto um adolescente de 15 anos poderia ter. O cenário muda drasticamente quando Hunter, seu melhor amigo desde a infância, volta do passado e abusa de sua confiança da pior maneira que poderia. Max se vê forçado a explorar seu segredo radicalmente, e percebe que muito mais foi escondido desde o seu nascimento. Por que sua família nunca conversou sobre suas opções? Quais eram elas? Como seria seu futuro? Como os outros lidariam com ele agora: seus amigos, seus parentes... Sua namorada? Quem é Max, realmente?

O próximo livro da nossa lista é um drama. Eu não tenho muito costume de ler obras do gênero pois, como já sabem, sou um profundo apreciador de terror e suspense. Tentei muito me desafiar e ler livros que fugiam da minha zona de conforto, até que encontrei Menino de Ouro da autora Abigail Thomas. O livro traz de maneira muito didática a condição da interexualidade, ou hermafroditismo, como estamos acostumados a ler por aí. Eu era totalmente leigo do assunto e o livro me trouxe inúmeros ensinamentos a respeito, além de desmistificar muitas informações que repetimos por aí de maneira errônea. Eu sei que a leitura parece ser algo muito massante, mas a autora cria uma história muito envolvente e gostosa de se ler, ainda que possuam cenas bem pesadas e tristes. Eu falei mais sobre ele em uma resenha especial para o nosso site parceiro 365 Cores do Universo e você pode conferir o texto completo clicando aqui.


Estou começando a entender que tentar ser perfeito foi o objetivo da minha vida. Da nossa vida. Tentar ser essa pessoa sorridente e sem defeitos, nessa família amorosa e feliz que se encaixa perfeitamente nessa cidadezinha bonita e inofensiva.


8º Lugar: Flores Para Algernon



Autor(a): Daniel Keyes
Editora: Aleph
Gênero: Ficção científica
Número de Páginas: 284
Sinopse: Uma cirurgia revolucionária promete aumentar o QI do paciente. Charlie Gordon, um homem com deficiência intelectual severa, é selecionado para ser o primeiro humano a passar pelo procedimento. O experimento é um avanço científico sem precedentes, e a inteligência de Charlie aumenta tanto que ultrapassa a dos médicos que o planejaram Entretanto, Charlie passa a ter novas percepções da realidade e começa a refletir sobre suas relações sociais e até o papel de sua existência. Delicado, profundo e comovente, Flores para Algernon é um clássico da literatura norte-americana.

Eu não sou muito fã de ficção científica, eu confesso, mas depois de ver tantas resenhas positivas sobre Flores Para Algernon eu decidi que iria lê-lo durante o ano de 2019 e, devo dizer, ainda bem que eu o fiz, pois foi uma das histórias mais densas e reflexivas que fiz em minha vida. A escrita do autor é simplesmente genial e a obra aborda diversas temáticas filosóficas de uma maneira que até quem não curte muito, irá se questionar e refletir sobre. Foi uma das melhores leituras que fiz nos últimos anos e não pude deixá-lo de fora. Resenha completa aqui.

Nada nas nossas mentes realmente vai embora. A operação o cobrirá com um véu de educação e cultura, mas emocionalmente ele estava ali assistindo e esperando.


7º Lugar: Mr. Mercedes



Autor(a): Stephen King
Editora: Suma de Letras
Gênero: Thriller, Suspense
Número de Páginas: 393
Sinopse: Ainda é madrugada e, em uma falida cidade do Meio-Oeste, centenas de pessoas fazem fila em uma feira de empregos, desesperadas para conseguir trabalho. De repente, um único carro surge, avançando para a multidão. O Mercedes atropela vários inocentes, antes de recuar e fazer outra investida. Oito pessoas são mortas e várias ficam feridas. O assassino escapa. Meses depois, o detetive Bill Hodges ainda é atormentado pelo fracasso na resolução do caso, e passa os dias em frente à TV, contemplando a ideia de se matar. Ao receber uma carta de alguém que se autodenomina o Assassino do Mercedes, Hodges desperta da aposentadoria deprimida, decidido a encontrar o culpado.


"Lá vai ele começar com os Livros do King", eu tenho certeza que vocês pensaram nisso que eu sei. Ele é um dos meus autores favoritos e fiquei muito feliz que ano passado eu tenha conseguido ler mais de 10 obras do autor, espero muito que consiga repetir o feito agora em 2020. Mr. Mercedes é o primeiro livro de uma trilogia de suspense publicado originalmente em 2011 e que é totalmente imperdível. Eu ainda não havia lido nada do King em que o autor trouxesse uma caçada contra um terrível serial killer e vocês não fazem ideia do quanto eu gostei dessa obra, repleta de reviravoltas e um final emocionante. Bill Hodges que é o detetive que irá conduzir as investigações é um dos melhores personagens já criados por King, assim como seus excêntricos ajudantes. Definitivamente foi uma obra de destaque no meu ano literário e já comprei os dois últimos títulos (Achados e Perdidos e O Último Turno) e certamente irei trazer as resenhas aqui para vocês, porém, podem ler todos os detalhes de Mr. Mercedes clicando aqui.

Hodges leu que há poços tão fundos na Islândia que você pode jogar uma pedra lá dentro e nunca ouvir o barulho dela batendo na água. Ele acha que algumas almas humanas são assim.

6: Lugar: Pequenas Grandes Mentiras



Autor(a): Liane Moriarty
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance, Drama, Suspense
Número de Páginas: 399
Sinopse: Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular. Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando também sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de quanto isso afetará a vida de todos. Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o novo romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro.

Senhoras e senhores, esse foi o primeiro livro que li em 2019 e devo dizer: Eu comecei o ano muito bem! Eu queria muito assistir a série, mas não sem antes prestigiar uma das obras literárias que mais vem conquistando destaque no universo literário. Esse foi também o meu primeiro contato com a autora, mas já virei fã. Misturando muito suspense em uma história imersiva e muito, muito envolvente, eu queria largar tudo para só ficar lendo e desvendar essa história. A série produzida pela HBO também é excelente e vale muito a pena conferir. Resenha completa aqui.

É porque toda a autoestima de uma mulher é baseada em sua aparência - Disse Jane - Por isso. É porque a gente vive em uma sociedade obcecada pela beleza, na qual a coisa mais importante que a mulher pode fazer é ser atraente para o homem. 


5º Lugar: O Labirinto do Fauno




Autor(a): Cornelia Funk (adaptadação do roteito escrito por Guillermo del Toro)
Editora: Intrísenca
Gênero: Drama, Fantasia
Número de Páginas: 317
Sinopse: Quando estreou nos cinemas, O Labirinto do Fauno encantou público e crítica com sua história que mesclava sonho e realidade, trazendo para o universo da fantasia o cruel cotidiano da Espanha fascista de Franco. Mais de dez anos depois, a produção permanece conquistando fãs e mostrando que boas histórias são atemporais. Nesta edição mais do que especial, o escritor, diretor e roteirista mexicano Guillermo del Toro — a mente por trás do filme e um dos artistas mais inventivos dos últimos tempos — se une a Cornelia Funke, premiada escritora de contos de fadas modernos e autora da trilogia Mundo de Tinta, para narrar a jornada de uma menina pelo Reino dos Homens e pelo Reino Subterrâneo. No ano de 1944, Ofélia e a mãe cruzam uma estrada de terra que corta uma floresta longínqua ao norte da Espanha, um lugar que guarda histórias já esquecidas pelos homens. O novo lar é um moinho de vento tomado pela escuridão e pela crueldade do capitão Vidal e seus soldados, dispostos a tudo para exterminar os rebeldes que se escondem na mata. Mas o que eles não sabem é que a floresta que tanto odeiam também abriga criaturas mágicas e poderosas, habitantes de um reino subterrâneo repleto de encantos e horrores, súditos em busca de sua princesa há muito perdida. Uma princesa que, segundo os sussurros das árvores, finalmente retornou ao lar. No livro, a narrativa de Ofélia é intercalada com ilustrações e contos de fadas inéditos, baseados em elementos-chave de O Labirinto do Fauno. A obra é uma impactante ode ao poder das histórias, seja em imagens ou palavras, e a sua capacidade de transformar a realidade a nossa volta.

Quando eu soube que a emblemática obra de Guillermo del Toro receberia uma versão escrita pelas mãos da Intrínseca já logo me animei, só não imaginava que o livro seria tão incrível e imersivo. Cornelia Funk reassistiu o filme inúmeras vezes para recriar e escrever todos os cenários, personagens e cenas de O Labirinto do Fauno e o resultado não poderia ser mais perfeito. O livro é mágico e tudo nele exala a paixão pelo qual o trabalho foi feito. O livro é também uma joia para os olhos e para os amantes de edições caprichadas, mas o destaque vai para essa história de amor e esperança em tempos tão sombrios como a guerra. Uma leitura reflexiva e cativante. Resenha completa aqui.

Todos nós inventamos o nosso conto de fadas.

4º Lugar: O Auto da Maga Josefa

Foto: The Bookworm Scientist 


Autor(a): Paola Siviero
Editora: Dame Blanche
Gênero: Ficção, Fantasia
Número de Páginas: 250
Sinopse: Toda lenda tem raízes na realidade e Toninho sabe disso melhor do que ninguém – a seca é apenas uma das muitas maldições que assolam o Agreste. Fantasmas, vampiros e gigantes não assustam esse jovem caçador de demônios, mas ele se surpreende ao conhecer a misteriosa Josefa, que também percorre as estradas áridas do Nordeste atrás de criaturas malignas. As intenções da maga em lutar contra os seres de outro mundo talvez sejam obscuras, mas a jornada ao seu lado certamente será uma aventura inesquecível...

Eu fico tão feliz quando posso citar um livro de um autor nacional aqui em uma lista de melhores do ano. Eu digo isso pois temos a síndrome do vira lata em que somente produções estrangeiras são dignas de nossa atenção. Como resultado, acabamos deixando obras maravilhosas de lado, por isso, faz algum tempo que passei a incluir e buscar (sim, nossos autores ainda são muito pouco divulgados)  uma quantidade cada vez maior de livros nacionais para conhecer e indicar aqui para vocês. Alerta de Spoilers: Talvez se transforme num quadro fixo aqui no site nos próximos meses. Não me lembro exatamente como conheci O Auto da Maga Josefa, mas me lembro que tudo nele me chamou muita atenção logo de cara: O título inusitado que logo me remeteu O Auto da Compadecida, os elementos da capa... Tudo pareceu muito excêntrico e chamativo e estava totalmente certo. O livro é uma delícia de ler e contém todos os elementos de uma ótima história: Tem suspense, reviravoltas, plot twists e até uma luta de pandeiros envolvendo os "big bosses", tudo muito bem pontuado com muito bom humor e a dose certa de sarcasmo. É sem dúvidas um dos meus livros favoritos de toda essa lista e que merece ser conhecido pelo mundo. Resenha completa aqui.

As religiões são mapas diferentes para se chegar ao mesmo lugar, mas cada um pode tomar o caminho que quiser para alcançar o céu. A verdade é que não é nem mesmo necessário seguir uma religião ou acreditar em qualquer coisa divina; todo aquele que pratica a bondade há de chegar lá.

3º Lugar: Passarinha


Foto: Vai Lendo 


Autor(a): Kathryn Erskine
Editora: Valentina
Gênero: Drama
Número de Páginas: 224
Sinopse: No mundo de Caitlin, tudo é preto e branco. Qualquer coisa entre um e outro dá uma baita sensação de recreio no estômago e a obriga a fazer bicho de pelúcia. É isso que seu irmão, Devon, sempre tentou explicar às pessoas. Mas agora, depois do dia em que a vida desmoronou, seu pai, devastado, chora muito sem saber ao certo como lidar com isso. Ela quer ajudar o pai – a si mesma e todos a sua volta –, mas, sendo uma menina de dez anos de idade, autista, portadora da Síndrome de Asperger, ela não sabe como captar o sentido. Caitlin, que não gosta de olhar para a pessoa nem que invadam seu espaço pessoal, se volta, então, para os livros e dicionários, que considera fáceis por estarem repletos de fatos, preto no branco. Após ler a definição da palavra desfecho, tem certeza de que é exatamente disso que ela e seu pai precisam. E Caitlin está determinada a consegui-lo. Seguindo o conselho do irmão, ela decide trabalhar nisso, o que a leva a descobrir que nem tudo é realmente preto e branco, afinal, o mundo é cheio de cores, confuso mas belo.Um livro sobre compreender uns aos outros, repleto de empatia, com um desfecho comovente e encantador que levará o leitor às lágrimas e dará aos jovens um precioso vislumbre do mundo todo especial dessa menina extraordinária.

Vamos agora para os três lugares mais importantes dessa lista: 2019 foi um ano bem complicado para conciliar minhas leituras com o tão temido Trabalho de Conclusão de Curso, mas fiquei bem feliz com o resultado: Fui aprovado e consegui até ler bastante. Dentre uma leitura e outra, procurei encaixar alguns livros que abordavam a temática do autismo para entender melhor esse universo tão amplo e, ao mesmo tempo, tão desconhecido para a elaboração do meu trabalho; me deparei com Passarinha e tudo nesse livro é maravilhoso e apaixonante. É uma obra que relata temas como amor, luto e recomeço sob a perspectiva de uma criança portadora do autismo e não consigo descrever a importância dessa obra pra mim que me ajudou tanto no aspecto acadêmico, mas que também serviu para me engrandecer como pessoa. Resenha completa aqui

Mas isto é a vida real. Um filme não é tão bom quanto a vida real. Não tem nem termo de comparação. Papai está enganado em relação a isso. Um filme é melhor do que a vida real porque nos filmes só os maus morrem. Ou então, você pode escolher os bons filmes em que os maus morrem e só assistir a esses. 

2º Lugar: Menina Boa, Menina Má



Autor(a): Ali Land
Editora: Record
Gênero: Thriller, Suspense
Número de Páginas: 378
Sinopse: Quando Annie, 15 anos, entrega a sua mãe à polícia espera um novo começo de vida - mas será que podemos realmente escapar ao nosso passado? A mãe de Annie é uma assassina em série. Annie ama a sua mãe, mas a única maneira que tem de a fazer parar é entregá-la à polícia. Com uma nova família de acolhimento e um novo nome - Milly -, espera um novo começo. Agora pode ser quem quer. Mas, com o julgamento da mãe à porta, os segredos do passado de Milly não vão deixá-la dormir... Quando a tensão sobe, Milly vai ter de decidir: será uma menina boa? Ou uma menina má? Porque a mãe de Milly é uma assassina em série. E ela é sangue do seu sangue.

2018 foi oficialmente o ano em que mais li suspenses na minha vida. Para 2019 não me restou muita coisa e para você que, assim como eu, é um fã do gênero, você me entende que após um certo número de livros lidos, as reviravoltas começam a soar todas iguais e de pouco impacto e vai se tornando cada vez mais difícil se surpreender de fato com as narrativas. Eu li tanto suspense ruim ano passado que vocês não tem noção. Já tava desacreditado e toda vez que montava as parciais da lista que estou trazendo pra vocês hoje, nenhum livro de suspense aparecia por aqui, felizmente Ali Land me salvou e trouxe facilmente um thriller arrebatador e que eu não conseguia desgrudar os olhos. A maneira com que a autora brinca com a dualidade da personagem estava me levando a loucura e eu já não sabia quem de fato ela era. Menina Boa, Menina Má é um livro denso, mas que você consegue ler em um ou dois dias, tamanha imersão e no final, você ainda fica embasbacado. Ele é tão maravilhoso que resolvi dá-lo a medalha de prata nessa minha lista. Resenha completa aqui.

Li num livro uma vez que gente violenta tem a cabeça quente, enquanto psicopatas são frios de coração. Quente e frio. Cabeça e coração. Mas e se a gente sai de uma pessoa que é a duas coisas? O que acontece?

1º Lugar: Novembro de 63



Autor(a): Stephen King
Editora: Suma de Letras
Gênero: Suspense, Ficção paranormal
Número de Páginas: 849
Sinopse: A vida pode mudar em um instante e dar guinadas extraordinárias. É o que acontece com Jake Epping, um professor de inglês de uma cidade no Maine, quando Al, dono da lanchonete da cidade, o recruta para assumir a missão que se tornou a obsessão de sua vida: deter o assassinato de John Kennedy. Como? Atravessando um portal na despensa da lanchonete que o transporta para o ano de 1958, a época de Eisenhower e Elvis, carrões vermelhos, meias soquete e fumaça de cigarro. Jake logo se vê na calorosa cidadezinha de Jodie, no Texas, onde dá início a uma nova vida e às suas investigações. Mas todas as curvas dessa estrada parecem levar ao solitário e problemático Lee Harvey Oswald. O curso da história está prestes a ser desviado... com consequências imprevisíveis. 

Ocupando o lugar mais alto do pódio e fazendo sua segunda aparição nessa lista, temos... Stephen King. Tá, é sem graça, eu sei, prometo que ano que vem irei me empenhar pra trazer uma lista mais surpreendente, mas eu não conseguiria colocar Novembro de 63 em outra colocação que não fosse a de primeiro lugar. King é uma relação de amor e ódio, até pra mim, que sou fã do autor. Reconheço que muitas obras são exageradas e muitas vezes os finais deixam a desejar, mas eu prometo que Novembro de 63 foi feito totalmente sob a medida e ele explora uma temática muito diferente do que está acostumado. Aliás, os dois livros do autor que trouxe aqui na lista são bem distintos entre si e gosto quando ele sai um pouco de sua zona de conforto. Novembro de 63 é um misto de romance histórico, biografia e ficção científica sem ser classificado em nenhum desses gêneros propriamente dito. É uma obra totalmente singular e que ocupou, merecidamente, o primeiro lugar dessa lista. Não vou falar muito do livro pois trouxe recentemente uma resenha bem completa aqui.

Por um instante tudo ficou claro e, quando isso acontece, a gente vê que o mundo mal existe. Em segredo, todos não sabemos disso? É um mecanismo de gritos e ecos que se equilibra com tanta perfeição fingindo ser rodas e engrenagens, um relógio de sonhos que toca atrás de um vidro de mistério que chamamos de vida. Atrás? Embaixo e em volta? Caos, tempestades. Homens com martelos, homem com facas, homens com armas de fogo. Mulheres que distorcem o que não podem dominar e desdenham o que não conseguem entender. Um universo de perda e horrores a cercar um único palco iluminado onde os mortais dançam em desafio às trevas…

Eu sei que esse texto ficou um pouco maior do que o normal, mas janeiro é conhecido oficialmente como o mês de balanço do ano que se passou, não é mesmo? Semana que vem já voltamos com nossa programação normal, fiquem ligados. Mas antes, me conta aqui nos comentários: Quais foram suas melhores leituras de 2019? Não se esqueça de nos seguirem em todas as redes sociais porque 2020 está só começando e eu prometo que não irão faltar novidades aqui pra vocês!

Nos vemos em breve. Até lá.


Postar um comentário

0 Comentários