Banner-Site-fw-fw

Val x Love | Crítica

A prova que nem sempre se envolver mitologia Nórdica é sinal de sucesso


Olá Startes, como estão?
Voltando a temporada de animes de Outono de 2019, hoje lhes trago uma obra que envolve mitologia nórdica, batalhas, e muitas, MUITAS cenas com pouca roupa. A crítica de hoje é sobre Val x Love!
  • Título Original: 戦×恋 (Ikusa x Koi)
  • Criador(a): Ryosuke Asakura
  • Diretor(a): Takashi Naoya (3D Kanojo: Real Girl)
  • Estúdio: Hoods Entertainment (Seikon no Qwaser)
  • Gênero: Harém, Ecchi, Escolar, Romance, Sobrenatural.
  • Data de Lançamento: 05 de Outubro de 2019
  • Episódios: 12
  • Temporadas: 1

Sinopse / Introdução

Takuma Akutsu é um gentil e esforçado estudante do ensino médio, que desde pequeno aprendeu a viver sozinho e excluído da sociedade, principalmente devido a sua aparência assustadora, onde sempre acaba afastando as pessoas ao seu redor, o que também acabou gerando uma fobia das mesmas. Entretanto, Takuma acaba tendo sua vida virada de cabeça pra baixo quando é escolhido por Odin para salvar o mundo, junto com as suas nove filhas, as valquírias. Entretanto, salvar o mundo obviamente não é tarefa fácil, principalmente quando a força e evolução das valquírias vem da intimidade delas com Takuma (sim, nesse sentido maldoso que você está pensando),  Essa evolução baseada em níveis, ocorre através do sistema Val x Love, em que através de objetivos predeterminados, causam o aumento de nível das valquírias, desde que concluídos. Será que Takuma tem o suficiente para esmagar as ratas salvar o mundo junto com as Valquírias?



História e Personagens

É difícil tentar explicar a quantidade de problemas que Val X Love possui, mas resumindo. É ruim, bem ruim, mas não é tão ruim assim. Deu pra sacar? Deixa eu tentar explicar melhor,
Somente lembrando que eu não li o mangá, portanto considerem minha opinião apenas em relação ao anime. Beleza?
Vamos do início, a história, que Infelizmente não é um ponto forte de Val x Love, porém consideremos que não é algo esperado em um anime com foco em ecchi de ação (sério). De qualquer jeito, um dos maiores problemas são as imensas quantidades de furos na história (falta de explicação para várias coisas, cenas desconexas, e etc.) que em várias situações fica impossível entender o que e por quê tal coisa aconteceu. Isso ao longo do tempo isso vai causando uma mistura de sentimos negativos ao espectador, como irritação, frustração, confusão e desinteresse, que no final pode resultar em um “drop” a obra.


Os personagens também são algo que pesam contra a Val x Love. Com um protagonista EXTREMAMENTE apático e irritante (que na minha opinião, supera de longe a do Shinji), aliado as valquírias com suas personalidades clichês, e vilões pra lá de genéricos, obviamente nenhum bom resultado poderia ser obtido disto. De qualquer jeito, se você não liga muito para spoilers, abaixo tem um breve resumo sobre eles.


Para não se dizer que tudo é ruim, a evolução dos personagens é algo bem existente na obra… porém o lado positivo acaba ai. A obra adota um sistema de evolução normalmente adotado em isekais: Níveis, como em um RPG. A diferença aqui é que elas não tem uma árvore de poderes para escolher onde “upar seus pontos”, mas possuem suas classes e poderes específicos. Considerando que a obra não se passa em um Isekai ou dentro de nenhum jogo, esse sistema claramente não se encaixa bem.


Nem mesmo o ecchi é suficiente para salvar tantos pontos negativos mencionados anteriormente, porém posso dizer que aqui é onde a obra rende o que deveria (ainda bem). Mesmo com um péssimo conjunto história/personagens, as cenas de ecchi / comédia devem conseguir tirar um (leve) sorriso do seu rosto, principalmente graças ao sistema Val X Love, que da o nome a obra. Lembram que eu mencionei que há o sistema de níveis, semelhante a isekais e afins? Pois é, adivinhem como essa “evolução” ocorre? Acertou quem disse pelo sistema Val X Love. 
Para evoluir, as valquírias precisam interagir (no sentido libidinoso) com Takuma, de acordo com as “missões aleatórias” escolhidas pelo sistema, que no final sempre terminam no lado cômico da coisa, como um bom “clichêzão” . O lado ruim é que as cenas ecchis ainda são totalmente censuradas. O que resta aos mais “hardcores” é aguardar a versão Blu-ray, e aos impacientes ler o mangá. Ah, e para variar, não há explicação desse sistema pra lá de bizarro, então você simplesmente aceita que ele está lá, como se fosse algo natural.

Animação

A animação ficou a cargo do estúdio Hoods, bastante experiente no cargo de animações ecchis com ação (muito sério), como por exemplo, Seikon no Qwaser e Mainyuu Hikenchou. Por tanto, há sim o capricho em cenas de maior foco e detalhe (vulgo cenas ecchis), porém não esperem algo sublime em relação a design de personagens e de cenário, ou fluidez e detalhamento em cenas que exigem mais movimentação.


O estúdio Hoods também foi responsável por Hentais , como Kagaku na Yatsura, Princess Lover (OVA) e o famoso Aki-Sora.
Resumindo, você não terá problemas nesse ponto, portanto não se preocupe. Volto a dizer que o único lado realmente contra aqui é a censura, ainda mais em um momento onde Blu-Rays não vendem o suficiente para justificar isso (ESTAMOS EM 2020 GALERA), mas tudo bem.

Trilha Sonora

Em geral, animes ecchi com ação (extremamente sério) possuem uma trilha sonora genérica bem “méh”, pois não é bem exatamente isso que precisa é o foco para impactar o espectador.. E obviamente Val x Love está nessa lista, portanto você só irá se incomodar com a trilha sonora se for esperando assistir algum tipo de obra espetacular, ou qualquer coisa adversa a ecchi/comédia, caso contrário você não se incomodará, e possivelmente nem dará relevância a isso. De qualquer jeito, segue abaixo um vídeo da abertura da série:

 

Resumo

Val x Love possui furos grotescos de história, um protagonista absurdamente irritante e com um harém em suas mãos, onde ele e as valquírias ficam a mercê de um sistema abstrato aleatório (e aparentemente perturbado) para que possam evoluir níveis e assim serem capazes de enfrentar seus inimigos.  Como isso poderia dar errado? Pois é, mas deu. Porém, isso não significa que obra é descartável. Eu diria que ela se encaixa muito bem para o público do “Vim ver pela história”, principalmente após o lançamento da versão Blu-Ray.

Nota: 2,0 / 5,0

 

Bônus

Mais GIFS para alegrar seu dia/noite (contém spoilers).



 

Postar um comentário

0 Comentários